TRABALHA CONOSCO

RÁPIDA ASCENSÃO

MÁRIO IGOR DE CAMPOS, 22 ANOS

postado em 15 / 2 / 2021

          O analista Mário Igor de Campos, 22 anos, é um dos membros mais jovens da equipe Coopel. O colaborador chegou à Cooperativa em junho do ano passado como estagiário. “Em
agosto fui contratado no setor”, frisa.
            A rotina do setor é um pouco diferenciada para atender todas as unidades da Coopel, principalmente as que têm expediente para além do horário comercial. “Fazemos um rodízio entre os funcionários para que o suporte seja garantido para todos os setores”, explica o colaborador. “Acho que o sonho de todo jovem é sair da faculdade e conseguir um emprego na sua área. Eu me formei no final de 2020 e já estou empregado. Somente a Coopel me daria essa oportunidade aqui no município”, reconhece o recém-formado analista, que foi estudante da UNA Bom Despacho.
               Mário se considera um privilegiado por ter terminado a graduação e conseguir um emprego imediatamente na área Mário Igor de Campos, 22 anos em que sempre sonhou sem precisar se mudar para uma cidade maior e ficar longe da família e amigos. “Se não fosse a Coopel provavelmente eu estaria em outra cidade para conseguir emprego na minha área. Infelizmente Pompéu é um pouco pequena e com baixa empregabilidade”, lamenta.
              Outro ponto positivo que Mário destaca é a agenda de treinamento que a Coopel promove para as equipes. No caso da equipe de TI essa ação é indispensável para a conectividade e fluxo de dados entre todos os setores da Cooperativa. Mário explica que a plataforma usada na empresa é o Totvs considerado um dos melhores softwares do país. “É um sistema robusto cuja vantagem é a integração de todos os setores e fornece os dados em tempo real. Um sistema unificado que dá mais segurança e agilidade para os processos”, explica.
                Tímido e de poucas palavras, Mário usa o tempo livre para trabalhar de forma independente, curtir a família e os amigos. Seus planos para o futuro são ocupar cargos de maior responsabilidade e liderança e especializar-se com uma pós-graduação. Em pouco tempo na Coopel ele já realizou o sonho de um carro novo e alimenta outros planos que preferiu não revelar. “Nasci e cresci em Pompéu, vi o crescimento da Coopel. Hoje percebo que a cooperativa não emprega pessoas apenas. A Coopel investe em sonhos!”
 


veja também

REALIZANDO UM SONHO

15 de Março 2021

          A colaboradora Letícia Menezes de Lacerda, 22 anos, desde criança nutria o sonho de trabalhar na Coopel. Natural de Silva Campos, a colaboradora da Insumos II costumava acompanhar os avós em viagens à Pompéu e frequentava o supermercado e o posto de gasolina da Cooperativa. “Sempre tive vontade de trabalhar aqui na Coopel. Fui contratada em outros lugares, mas, sempre almejando trabalhar aqui”, frisa. E continua: “Quem me conhece sabe que eu sempre falava: ‘Eu vou trabalhar na Coopel ‘. E faz dois anos que estou aqui”, comemora.
            Prestes a se formar como administradora de empresas, a colaboradora esclarece que a Coopel é uma empresa que alimenta suas ambições com incentivos aos estudos. “Eu tenho um plano de carreira aqui e a Coopel presta um suporte financeiro e moral. Não adianta ter o incentivo financeiro se o colaborador não se sente motivado. Os líderes e diretores sempre nos incentivam a estudar, a produzir e a participar de cursos e treinamentos... Tudo isso é importante pra o plano de carreira na empresa”, coloca a funcionária que pretende fazer um MBA em gestão de produção com o convênio acadêmico ofertado pela Cooperativa. “É uma área que estou trabalhando aqui e gostando muito”.
           A profissional crê que a Coopel visa o melhor custo benefício para os associados e uma boa qualidade de vida para os funcionários. “É diferente das outras empresas! Por isso que é bom estar aqui e sentir a Coopel e o cooperativismo. Se a Coopel está investindo no nosso crescimento, ela cresce junto conosco”, conclui.
          Letícia desempenha funções ligadas à área de logística. “Faço a coordenação de cargas, entregas (ao lado do colaborador Felipe), produção e também a parte de pós-venda em Letícia Menezes de Lacerda, 22 anos parceria com a colaboradora Paula”, esclarece. “Minha função é importante para que tudo chegue certo ao produtor. Faço o acompanhamento desde a hora que o pedido chega à Insu os II até a entrega para o produtor.”, explica.
          Dois anos de Coopel já lhe renderam muitos aprendizados.. “Amadureci muito. Foram dois anos muito produtivos
para almejar e aprender coisas novas para a vida na empresa e fora dela”. E ela não esconde o orgulho de fazer parte da família Coopel. “A Cooperativa é referência. Todo mundo tem vontade de trabalhar aqui e eles não estão errados! A Cooperativa nos dá suporte e uma qualidade de vida muito boa! Temos muitos benefícios aqui. Todo mundo que chega de fora recebe como referência a Coopel”, afirma.
       Muito comunicativa, Letícia aproveita os momentos de folga com atividades diversas. “Nas horas vagas vou à fazenda visitar minha família e gosto de uma cervejinha! Malho, estudo, cuido dos meus cachorros e, como moro sozinha, também cuido das atividades domésticas”, enumera

“A Coopel é meu suporte. Saio de casa super animada para fazer o meu melhor e tenho sempre os meus colegas de trabalho para me auxiliar nos dias bons e ruins. Nos ajudamos, brincamos e conversamos sério... Somos um time!”.

Avante, Letícia e avante Coopel!
A união faz a força, a força faz a Coopel e a Coopel faz o corporativismo!

SIMPLICIDADE E SUOR

15 de Março 2021

          O fazendeiro Éder de Campos, 33 anos, é o proprietário e o faz tudo da propriedade, junto da companheira, Dardane, na Fazenda Mojolin, em Pompéu. E, como somente os dois trabalham para manter a propriedade, a rotina é muito pesada. “Minha rotina é levantar cedo, tirar o leite e depois vamos fazendo os outros serviços da fazenda no decorrer do dia, que é a parte administrativa”, explica o produtor. O motivo para fazerem todo o serviço sozinhos é que,
segundo Éder, está cada vez mais difícil contratar mão-de-obra qualificada e que tenha responsabilidade com o trabalho.
             A propriedade possui 22 hectares e atualmente produção de leite atinge a marca de mil litros por dia com 48 vacas em lactação. “De mamando a caducando” a propriedade reúne 120 cabeças de gado. Vacas e novilhas são cerca de 100 animais. “A propriedade depende muito da assistência da Coopel com o serviço técnico de agrônomo com o Geraldo e o Leandro e a ração dos animais. Meu movimento é todo na Coopel, até compras para a casa eu faço lá” explica o produtor.
          Éder leva uma vida complemente enraizada e simples no meio rural, pois segundo ele não possui muita afinidade com áreas urbanas e o movimento da cidade, “Eu só vou em Pompéu na correria, apenas uma vez por mês para resolver as coisas da fazenda”, comenta.
             Éder é cooperado há menos de três anos e recomenda que outros produtores façam o mesmo. “Compensa toda hora! Se o fazendeiro não for cooperado não tem como você pagar pelos produtos. Eu fiz contrato com a Cooperativa e isso facilita o planejamento, e foi assim que eu fiz dinheiro. Eu afirmo que não tem ração melhor que em Pompéu que as vendidas na Cooperetiva” expressa. O fazendeiro pontua que a orientação pelos técnicos guia os fazendeiros na distribuição de insumos pelas propriedades. “Melhorou demais! Os meninos da Cooperativa são tudo bom de mexida”, comenta.
               O produtor pensa em fazer melhorias na propriedade, mas, é prudente em relação às oscilações do mercado e a situação atual do país. “Penso em fazer, mas o momento não é bom, pois, os preços variam demais para o produtor”, explica.
                A relação da família de Éder com a Coopel já dura muitos anos. O pai do fazendeiro, Antônio Osvaldo de Campos, é cooperado há cerca de uma década e também recomenda que os produtores sejam associados da cooperativa. Entre as atividades prestadas, Éder não esconde a satisfação com a assistência técnica. “Gosto muito dos técnicos. Os meninos são uma grande ajuda para a gente que não tem muito estudo. Não tenho do que reclamar! A Coopel está de parabéns”, elogia o fazendeiro. Éder é pai de um filho, o Robson.
 

RÁPIDA ASCENSÃO

15 de Fevereiro 2021

          O analista Mário Igor de Campos, 22 anos, é um dos membros mais jovens da equipe Coopel. O colaborador chegou à Cooperativa em junho do ano passado como estagiário. “Em
agosto fui contratado no setor”, frisa.
            A rotina do setor é um pouco diferenciada para atender todas as unidades da Coopel, principalmente as que têm expediente para além do horário comercial. “Fazemos um rodízio entre os funcionários para que o suporte seja garantido para todos os setores”, explica o colaborador. “Acho que o sonho de todo jovem é sair da faculdade e conseguir um emprego na sua área. Eu me formei no final de 2020 e já estou empregado. Somente a Coopel me daria essa oportunidade aqui no município”, reconhece o recém-formado analista, que foi estudante da UNA Bom Despacho.
               Mário se considera um privilegiado por ter terminado a graduação e conseguir um emprego imediatamente na área Mário Igor de Campos, 22 anos em que sempre sonhou sem precisar se mudar para uma cidade maior e ficar longe da família e amigos. “Se não fosse a Coopel provavelmente eu estaria em outra cidade para conseguir emprego na minha área. Infelizmente Pompéu é um pouco pequena e com baixa empregabilidade”, lamenta.
              Outro ponto positivo que Mário destaca é a agenda de treinamento que a Coopel promove para as equipes. No caso da equipe de TI essa ação é indispensável para a conectividade e fluxo de dados entre todos os setores da Cooperativa. Mário explica que a plataforma usada na empresa é o Totvs considerado um dos melhores softwares do país. “É um sistema robusto cuja vantagem é a integração de todos os setores e fornece os dados em tempo real. Um sistema unificado que dá mais segurança e agilidade para os processos”, explica.
                Tímido e de poucas palavras, Mário usa o tempo livre para trabalhar de forma independente, curtir a família e os amigos. Seus planos para o futuro são ocupar cargos de maior responsabilidade e liderança e especializar-se com uma pós-graduação. Em pouco tempo na Coopel ele já realizou o sonho de um carro novo e alimenta outros planos que preferiu não revelar. “Nasci e cresci em Pompéu, vi o crescimento da Coopel. Hoje percebo que a cooperativa não emprega pessoas apenas. A Coopel investe em sonhos!”