TRABALHE CONOSCO

SIMPLICIDADE E SUOR

EDER DE CAMPOS, 33 ANOS

postado em 15 / 3 / 2021

          O fazendeiro Éder de Campos, 33 anos, é o proprietário e o faz tudo da propriedade, junto da companheira, Dardane, na Fazenda Mojolin, em Pompéu. E, como somente os dois trabalham para manter a propriedade, a rotina é muito pesada. “Minha rotina é levantar cedo, tirar o leite e depois vamos fazendo os outros serviços da fazenda no decorrer do dia, que é a parte administrativa”, explica o produtor. O motivo para fazerem todo o serviço sozinhos é que,
segundo Éder, está cada vez mais difícil contratar mão-de-obra qualificada e que tenha responsabilidade com o trabalho.
             A propriedade possui 22 hectares e atualmente produção de leite atinge a marca de mil litros por dia com 48 vacas em lactação. “De mamando a caducando” a propriedade reúne 120 cabeças de gado. Vacas e novilhas são cerca de 100 animais. “A propriedade depende muito da assistência da Coopel com o serviço técnico de agrônomo com o Geraldo e o Leandro e a ração dos animais. Meu movimento é todo na Coopel, até compras para a casa eu faço lá” explica o produtor.
          Éder leva uma vida complemente enraizada e simples no meio rural, pois segundo ele não possui muita afinidade com áreas urbanas e o movimento da cidade, “Eu só vou em Pompéu na correria, apenas uma vez por mês para resolver as coisas da fazenda”, comenta.
             Éder é cooperado há menos de três anos e recomenda que outros produtores façam o mesmo. “Compensa toda hora! Se o fazendeiro não for cooperado não tem como você pagar pelos produtos. Eu fiz contrato com a Cooperativa e isso facilita o planejamento, e foi assim que eu fiz dinheiro. Eu afirmo que não tem ração melhor que em Pompéu que as vendidas na Cooperetiva” expressa. O fazendeiro pontua que a orientação pelos técnicos guia os fazendeiros na distribuição de insumos pelas propriedades. “Melhorou demais! Os meninos da Cooperativa são tudo bom de mexida”, comenta.
               O produtor pensa em fazer melhorias na propriedade, mas, é prudente em relação às oscilações do mercado e a situação atual do país. “Penso em fazer, mas o momento não é bom, pois, os preços variam demais para o produtor”, explica.
                A relação da família de Éder com a Coopel já dura muitos anos. O pai do fazendeiro, Antônio Osvaldo de Campos, é cooperado há cerca de uma década e também recomenda que os produtores sejam associados da cooperativa. Entre as atividades prestadas, Éder não esconde a satisfação com a assistência técnica. “Gosto muito dos técnicos. Os meninos são uma grande ajuda para a gente que não tem muito estudo. Não tenho do que reclamar! A Coopel está de parabéns”, elogia o fazendeiro. Éder é pai de um filho, o Robson.
 


veja também

RETORNO OPORTUNO

15 de Junho 2021

      Todos somos importantes no contexto de uma grande empresa cujo foco é o crescimento constante. O “colaborador” é o agente que gera o movimento dessa grande máquina, distribuindo sua ação por todas as vias do atendimento, da logística e da produção. São pequenas histórias que nos contam alguma coisa sobre os detalhes do desenvolvimento dos processos e da satisfação no trabalho. Nesta oportunidade, ouvimos o depoimento de HUGO INÁCIO, o qual nos fala da sua contribuição em mais de 4 anos no time COOPEL.

       Aos 35 anos, faz sua segunda passagem pelo grupo de trabalho, atuando como vendedor varejista e no setor de logística de Insumos I. Comparando suas duas passagens, surpreendeu-o as mudanças significativas em todos os setores.  “Não há como comparar a situação da COOPEL em 2011, no meu primeiro ingresso, de como está agora. Seria difícil mensurar sua enorme evolução. É uma outra empresa, em todos os sentidos”, afirma. O crescimento caminhou pelas estruturas, número de colaboradores, aperfeiçoamento de processos, técnica, mais associados, mantendo seu valor inestimável como empregadora exemplar e recomendável. Na sua formação de agrônomo, revê como foi importante o apoio no custeio e no estímulo, durante o curso. As cobranças efetuadas do seu aproveitamento na faculdade, foram recebidas por HUGO como um impulso adicional a sua permanência e conclusão. Com clareza, diz que a COOPEL agrega valores importantes para a sociedade Pompeana. “É um bem incalculável”, enfatiza. “Fica difícil de se imaginar uma Pompéu sem a influência forte e positiva da COOPEL”. Sem outros números, citamos mais de 200 empregos diretos e indiretos gerados por essa COOPERATIVA, beneficiando famílias e estendendo sua cooperação até às instituições de caridade.

         Em resumo, a COOPEL teve grande significado em sua vida particular. É mais uma das boas coisas de sua atual condição, como pessoa e como colaborador. “Se voltei a trabalhar na COOPEL, posso sonhar, ainda, com muito progresso. O céu é o limite”, fala com esperança e entusiasmo. “Como agrônomo, quem sabe posso atuar também no setor da agricultura, que tem crescido muito ultimamente”, completa.

        Hugo agradece e parabeniza a família COOPEL e sua nova gestão. Finaliza, desejando votos de esperança para os dias melhores que certamente virão

TRADIÇÃO E PRODUTIVIDADE

15 de Junho 2021

     O produtor GUERINO A. MARINHO, proprietário da Fazenda Capão do Palmital, situada no Município de Papagaios, MG, conta com orgulho que é casado com Margarida da Silva, e que possui três filhos, Anísio Alves Marinho, Ataíde Alves Marinho e Evanir Alves Marinho.

      Guerino é associado da COOPEL há mais de dez anos. Seguindo os passos do pai, viveu desde a infância nas lidas das fazendas. GUERINO não consegue visualizar sua vida fora das atividades agropecuárias. É o que sempre fez, atualmente, emprega o que sabe na pecuária leiteira. É responsável pela marca de 1000l/dia de leite, prospectando chegar brevemente em 1500l/dia. Dispondo de 220 cabeças de gado, 90 destas produzindo. Todas as atividades se distribuem num espaço de 120 hectares. Além da organização do gado em seus ambientes planejados, existe também as lavouras para amenizar os custos com a alimentação e outras necessidades internas.

     Quase todos os insumos, que visam a produção do leite, são adquiridos na COOPEL, sob contrato. Destaca as boas referências ao tipo de contrato feito com a COOPERATIVA, o qual determinou sua permanência na produção do leite. Não fosse a colaboração da COOPERATIVA, sua produção estaria seriamente comprometida, em virtude dos autos preços dos insumos. Graças ao contrato com a COOPEL, o produtor chegou à marca de 20 a 30% de economia em seu custo de produção. Conforme a necessidade, GUERINO faz seus contratos anuais, direcionando em 2021 o fornecimento de ração, sobre a qual despeja os melhores elogios pela sua qualidade.

    Todo esforço na boa produção de leite é recompensado quando, em um lugar especial da sede da CAPÃO PALMITAL, o fazendeiro exibe seus inúmeros troféus conquistados nos torneios leiteiros anuais da região. Quanto ao atendimento da COOPEL, declara que a COOPEL sempre manteve sempre seu alto padrão, desde o início da relação.

     De forma educada, GUERINO faz seus agradecimentos e registra a grande contribuição de sua fazenda para a sociedade. Mesmo com a crise presente, e graças ao apoio da COOPEL, as fazendas da região veem “fichando” cada vez mais funcionários nos últimos tempos e melhorando a qualidade de seus produtos. “O agronegócio merece reconhecimento e precisa de uma maior atenção por parte dos órgãos do governo em toda a sua abrangência”, reforça o produtor.

DEDICAÇÃO E COMPETÊNCIA

20 de Maio 2021

        A colaboradora Rosângela Apare cida Isaías da Silva, natural de Pompéu, integra a família Coopel há apenas dois anos, mas, é muito querida e se adaptou muito bem aos valores e estilo de trabalho da Cooperativa. “Há dois anos fui chamada para fazer um processo seletivo e fiquei lisonjeada! Fui aprovada e, desde então, faço parte dessa vitoriosa equipe”.
       Suas atividades começaram no setor financeiro da Coopel, durante o período da troca de sistema. “Era um período em que tínhamos muita coisa para adequar porque havíamos trocado de sistema e vim para somar nesse processo”, relembra Rosângela. Apesar dos desafios, a recepção foi muito calorosa.
     Além do status profissional, a colaboradora acredita que fazer parte da  Coopel é uma forma de ajudar a Cooperativa a realizar ações importantes para o prestígio e bem-estar social de Pompéu. “ A empresa traz um valor imensurável para a cidade com o fortalecimento econômico dos produtores e ações sociais”, valora.
      O mesmo, segundo Rosângela, é percebido na relação com os colaboradores. “A Cooperativa busca capacitar
os funcionários com palestras e treinamentos. Além da ajuda de custo para capacitação profissional dos colaboradores com a política de descontos em  mensalidades, que auxilia muitas pessoas a conseguirem uma formação acadêmica”, elogia.
      Em seu setor, a colaboradora e toda equipe cuidam da emissão de relatórios para outros departamentos da Coopel e para os produtores associados. “ Trabalhamos com o sistema Totvs, ferramenta que nos auxilia na geração de relatórios em tempo real com informações que ajudam nas tomadas de decisão”, explica.
      Rosângela é casada com Júlio César e tem dois filhos: Ana Paula e Rafael, que moram em Belo Horizonte. “Agradeço pela oportunidade de ingressar nessa casa, aos colegas pelo companheirismo, pela força e união. A Coopel é uma grande família”, finaliza.